CRIANÇAS

Crianças

Os hábitos alimentares estabelecem-se na infância e tendem a manter-se na idade adulta. Proporcionar às crianças uma alimentação variada e equilibrada que as ajude a crescer saudáveis e ensiná-las a escolher são fundamentais.

3-10 anos

A alimentação tem de fornecer a energia, os nutrientes e os compostos bioactivos (fitoquímicos) necessários ao crescimento e desenvolvimento óptimos da criança. Nestas idades a alimentação torna-se ainda num acto pessoal e social que proporciona satisfação.

As necessidades vão depender da idade, da altura e do peso e sobretudo do nível de actividade física desenvolvida. Crianças mais activas gastam mais energia e portanto precisam de comer um pouco mais.

 Ao contrário dos adultos, as crianças no pré-escolar, são capazes de responder a sinais internos de fome e saciedade e não a sinais externos (como os horários das refeições ou quais os alimentos que se ingerem em determinadas refeições). Pelo que deve deixar a sua criança controlar quando quer ou não quer comer e a quantidade do que come, enquanto lhe proporciona escolhas saudáveis.

Por outro lado a criança mais velha, está a tornar-se mais independente. A influência da publicidade e dos colegas e amigos ganha importância nesta fase. Promover uma alimentação saudável sem demasiada rigidez e em que , dentro de certos limites, seja possibilitado à criança fazer algumas escolhas funciona melhor do que impor demasiadas regras e proibições.

A refeição é um momento privilegiado para a aprendizagem e aquisição de hábitos alimentares saudáveis e a escola passa a ter um papel fundamental na educação nutricional e na prática da actividade física.

Hábitos saudáveis - Como transmiti-los

Nestas idades criar hábitos saudáveis é tão importante como fornecer todos os nutrientes necessários ao desenvolvimento óptimo da criança.

Como fazê-lo?

  • Desfrute das refeições em família, desligue a televisão e faça das refeições um momento de convívio.
  • Ofereça uma dieta variada e convide a criança a participar na preparação das refeições. 
  • Respeite o apetite da criança. Controle a qualidade do que a criança come e estabeleça horários mas deixe que seja a criança a decidir se tem ou não fome e quanto quer comer.
  • Ensine a criança a comer devagar e a mastigar bem os alimentos. 
  • Permita que por vezes existam excepções (na festa de anos do amigo, o gelado no fim de semana…). Não proíba determinados alimentos porque corre o rico de os tornar muito mais apetecíveis.
  • Não faça chantagem ou premeie com comida. Não encare o alimento como afecto. Afecto é disponibilidade, atenção e carinho.
  • Se a criança tem fome entre as refeições, disponibilize-lhe lanches saudáveis (pedaços de fruta, palitos de cenoura, pepino ou pimento, iogurte, batido de leite com fruta, pequenas sanduíches de pão escuro…)
  • Não dê sumos, néctares e refrigerantes à criança. Vão apenas contribuir para o excesso de peso e para as cáries. Se a criança tem sede ofereça água se tem fome ofereça-lhe fruta.
  • A actividade física também é muito importante para que a criança se desenvolva em todo o seu potencial. Promova diariamente idas ao parque, jogos como a apanhada, o rei manda ou jogos de bola…